Buscar
  • Revista EiS

"O samba salvou a minha vida" - Saiba o poder de transformação, que o samba pode fazer na


Rakel Doleck em frente a sede da escola de samba de Muriaé, Unidos de Santa Terezinha

Quem hoje vê Rakel Doleck aos 38 anos de idade, Rainha de Bateria no Unidos de Santa Terezinha, escola de samba de Muriaé, MG, musa da Mocidade de Vicente de Carvalho e sempre com um belo sorriso no rosto, não imagina que a bela mulata há pouco mais de 5 anos, chegou a comprar veneno de rato para tentar contra a própria vida.

Casada muito jovem, Rakel nunca tinha entrado em uma quadra de escola de samba e nem tinha curiosidade para conhecer. Totalmente apaixonada pelo seu marido, a linda mulata foi mãe logo nos primeiros anos de casamento, o que lhe prendia ainda mais dentro de casa. A vida de Rakel daria uma reviravolta, após 14 anos de matrimônio, sofrer com a infidelidade de seu marido, que saiu de casa para ir morar com outra mulher. Rakel viu seu castelo desmoronando e o mundo caindo sobre a sua cabeça e entrou numa profunda depressão, que a levou a tentar o suicídio por algumas vezes, sendo que em uma dessas, estava preste a ingerir veneno, sendo impedida e aconselhada por sua tia à pensar no seu filho e que tal ato não valeria a pena.

Mas foi um amigo de faculdade que serviu de instrumento, para retirar aquela menina depressiva, que chegou a pesar 47 kg, do fundo do poço para o renascimento, como ela mesma explica: "- Eu estava numa depressão profunda e meu amigo da faculdade me chamou para ir na quadra da escola de samba Império da Uva, aceitei o convite, adorei e não quis mais sair. Foi assim que saí da depressão, o samba salvou a minha vida". Explicou Rakel.

Rakel Dolek, enquanto rainha de bateria do Império da Uva

Rakel chegou ao posto de Rainha de bateria do Império da Uva, aonde permaneceu por 3 anos; hoje ela é rainha de bateria de uma escola de samba de Muriaé, MG, Unidos de Santa Terezinha, musa da Mocidade de Vicente de Carvalho e desfila em várias outras agremiações da Intendente Magalhães e da Sapucaí; está muito feliz em sua vida pessoal, desenvolveu um bonito trabalho em uma ONG "Casa do menor",que recebe doações de fora do Brasil e lá conheceu um Italiano sedutor e insistente, que estava na ONG fazendo um trabalho voluntário. "Nós éramos apenas amigos, mas ele passou 6 meses correndo atrás de mim igual um cachorrinho, até que meu coração ainda um pouco ferido, amoleceu e aceitei o seu pedido de namoro. Hoje em dia sou completamente apaixonada por ele e já estamos juntos há 2 anos e 5 meses e fazemos planos de morarmos juntos na Itália.

Essa é uma linda história, que serve para mostrar a função social importante que o samba tem na nossa sociedade. Ao contrário do que foi dito recentemente, durante a sessão de impeachment no senado federal, que o samba não é coisa séria, fica evidente, que é uma cultura de nosso povo, capaz não só de levar para as pessoas diversão e entretenimento, como também tirar jovens das ruas, da marginalidade e como vocês puderam ver, o samba é capaz de resgatar de lá do fundo do poço, uma pessoa sem perspectiva de vida, sem ânimo, sem esperança e lhe transportar para uma nova vida, cheia de cor, de luz, de som e de amor.

Rakel Doleck, ao lado de seu filho Celso Marcellus, de 15 anos.


69 visualizações