Buscar
  • Revista EiS

Jorge Velloso é penta campeão na Beija-Flor, mas humilde, escolhe o melhor de todos na atualidade: &


Jorge Velloso com os troféus dos campeonatos da Beija-Flor, de 2007, 2008 e 2015, com sambas de autoria de sua parceria (foto de Jefferson Braga)

Jorge Velloso já participou de 23 disputas de samba na Beija-Flor e chegou a 20 finais, tendo sido campeão em 5 ocasiões e viu seu hino ajudar a levar a escola ao título por três vezes. Acompanhe essa bela entrevista com essa grande personalidade da Beija-Flor e do mundo do samba:

EiS - Quando você se descobre compositor de samba enredo?

Velloso - Eu fazia parte da bateria da Beija-Flor e sempre gostei de estar no meio da galera que escrevia samba, meu pai era compositor também e sempre gostei de estar nos botecos aonde via os compositores fazendo suas obras e em 1994 para o carnaval de 1995 eu resolvo participar pela primeira vez das disputas da Beija-Flor e cheguei até a semi final.

EiS - Era muito diferente as disputas de samba do início dos anos 90, quando você começou a participar das disputas, para os dias de hoje?

Velloso - Completamente diferente, as parcerias tinham poucos parceiros e não tinha grandes valores. A gente mesmo que fazia um rateio e pagava os nossos cantores, que no meu caso era o Gilson Bakana que cantava. A torcida era os nossos amigos que torciam por nós, não era como é hoje. A coisa só começou mudar aqui na Beija-Flor em 1998, quando Wilsinho Paz trouxe Wander Pires para defender seu samba e trazia muita torcida para a quadra. A partir daí que encareceu muito as disputas daqui da Beija-Flor.

EiS - Para você quem é o maior compositor da atualidade?

Velloso - Para mim é Cláudio Russo, o maior vencedor de sambas enredo que tem por aí e em segundo é Samir Trindade, que é bem jovem e muito talentoso, com muita bagagem para pegar ainda.

EiS - Dentre esse jovens compositores que estão surgindo você destacaria algum?

Velloso - Tem uma galera jovem muito promissora, é fundamental isso, pois será o nosso futuro. Aqui na Beija-Flor, fico muito feliz ao ver essa nova parceria que se formou, com Bakaninha, Di Menor e Diego, que vi crescer aqui dentro da Beija-flor e os considero como meus sobrinhos.

Julio Bombinha entrevistando Velloso (Foto de Jefferson Braga)

EiS - Quanto se gasta em média, para chegar numa final da Beija-Flor?

Velloso - Olha rapaz, no ano passado, nós perdemos e gastamos 120 mil reais, então posso dizer que o custo fica mais ou menos entre 100 e 120 mil reais.

Velloso com troféus e prêmios (foto de Jefferson Braga)

EiS - Já pensou em parar de escrever samba para a Beija-Flor?

Velloso - Já pensei sim, esse ano mesmo estou forçando a barra. O clima de disputa é muito grande, muito desgaste; sou presidente da ala dos compositores e sou vice presidente de patrimônio da escola. Quando a gente perde, não chama a atenção de ninguém, mas quando ganhamos, é muito chato ouvir dizer que ganhamos porque o Velloso é presidente da ala dos compositores, é vice presidente de patrimônio e isso dói pra caramba. Perdi 15 vezes e ninguém nunca veio me dizer, o quanto é sofrido perder, mas os cinco que ganhamos temos que ouvir esss críticas; e olha que dessas cinco vitórias nossas, 3 levaram a escola ao campeonato, uma levou ao vice campeonato e na outra foi um quarto lugar, que está engasgado na garganta até hoje.

EiS -Qual o motivo do quarto lugar de 2012 estar engasgado até hoje?

Velloso - Porque sei que se não tivesse juntado os sambas, o nosso resultado seria bem melhor. Poderia ter sido o meu samba sozinho ou o samba do Samir sozinho, mas juntar foi um erro.

EiS - No último carnaval, a escolha foi feita por voto aberto, com todos os segmentos da escola participando, o que você achou disso?

Velloso - Eu já tinha participado de uma votação assim em São Paulo, quando se dizia que o presidente da escola na época queria um determinado samba. Foi feito a votação e meu samba venceu por 30 votos à 1. Na ocasião se fez necessário, mas aqui na Beija-Flor não precisa disso, porque aqui ganha o melhor.

EiS - No final das contas, você considera que o resultado foi justo?

Velloso - Foi uma disputa muito acirrada entre os sambas 4, 13 e 39; Não estou aqui para julgar, mas acredito que o samba 7 era a quarta força. No final o campeão foi o samba 39 e acho que na avenida foi um samba que funcionou. A escola ficou em quinto lugar, mas não por culpa do samba, que foi muito bem na avenida.

EiS - O que siginica a Beija-Flor na sua vida?

Vellosso - A Beija-Flor é tudo na minha vida. Tudo meu está aqui dentro, o Anízio é um pai para todos nós, damos a vida pela Beija-Flor e brigamos por ela. Eu me sinto muito bem aqui dentro. Temos o Gabriel que é a renovação dentro de nossa escola, um jovem muito participativo de tudo e tenho certeza que em breve será o nosso grande líder. Ele é preparado e justo, o que é muito importante para um comandante.


131 visualizações