Buscar
  • Revista EiS

Elas fazem o maior espetáculo da Terra e dão dicas para o evento se tornar ainda mais lucrativo para


A partir da esquerda: Janaína Azevedo, Lucinha Nobre, Célia Domingues, Rosa Magalhães e Aydano André Motta

Na noite de ontem, 8 de setembro, o Samba Falado que acontece toda primeira quinta-feira de cada mês, no Espaço Chateau Rouge, recebeu as grandes divas do nosso carnaval, a passista show Janaína Azevedo, a porta bandeira Lucinha Nobre, a presidente da AMEBRAS Célia Domingues e a carnavalesca Rosa Magalhães. O debate tem como mediador o jornalista Aydano André Motta, que também é um dos idealizadores desse projeto. O debate de ontem tratou de discutir uma maneira de criar oportunidades de negócios para o carnaval, fora do período de festa. A passista Janaína Azevedo, se intitula passista show business e explica porque:

"-Eu trabalho com transporte executivo, mas na mala do meu carro sempre está o biquini de show, é só me ligar que estou rapidamente pronta para fazer minha apresentação." disse Janaína. Uma das mais premiadas portas bandeiras de nosso carnaval, que já viajou o mundo levando o nosso samba e representando nossa cidade, acredita que é preciso tratar o carnaval com mais profissionalismo durante todo o ano, para que possa ser mais rentável para todos os envolvidos e não apenas meia dúzia de pessoas. A presidente da AMEBRAS com uma visão de gestão que impressionou à todos, ressaltou a importância de voltar à ter eventos na cidade do samba, o ano todo, como acontecia antigamente e dá a receita para manter os espetáculos sempre com a casa cheia. "- Uma das coisas que poderia ser feito, é dar comissão para as pessoas que levam os turistas para os shows. Aquele taxista que receber um percentual por cada turista que levar aos eventos, vai estar sempre estimulado em levar mais turistas e assim todos ganham. O evento para dar certo tem que ser bom para todos." Explicou Célia Domingues. Um dos grandes momentos do debate, foi quando a super campeã de nosso carnaval Rosa Magalhães contou alguns detalhes de todas as suas dificuldades para fazer a festa de encerramento das olimpíadas. "Um dia estava no barracão da cidade do samba e chegou um responsável pelo organização da cerimônia, querendo levar o carro alegórico em cima de uma caminhão." revelou Rosa Magalhães. Tal revelação deixou todos perplexos e ao mesmo tempo arrancou risadas de todos que ouviam o relato. No fim das contas, ela fez as coisas ao seu modo e o resultado final todos puderam ver, que foi o grande espetáculo realizado.

O espaço Chateau Rouge é administrado por Sandro Carvalho.

Foto retirada ao fim do debate


17 visualizações