Buscar
  • Revista EiS

Raissa de Oliveira grava vinheta para a Globo - "Quando chega a vinheta percebo que o carnaval


Raissa de Oliveira em gravação da vinheta na Globo (Foto: Divulgação)

Raissa de Oliveira, rainha de bateria da Beija-Flor de Nilópolis, gravou a vinheta da Globo para o carnaval de 2017 e aproveitamos para saber um pouco mais dessa beldade do nosso carnaval.

EiS - Você se tornou rainha de bateria da Beija-Flor de Nilópolis aos 12 anos de idade. A partir de que momento de sua vida, você passou a perceber que é exemplo para muitas meninas e que também é representante no Brasil e no mundo, uma grande escola de samba, que é a Beija-Flor?

Raissa - Na verdade, quando eu passei a ser rainha de bateria aos 12 anos, eu não tinha noção da proporção do cargo e ficava chorando, querendo voltar a ser da ala de passistas para ficar junto com as minhas amiguinhas que estavam todas lá. Depois que peguei mais maturidade que comecei a perceber o quanto esse cargo era importante para a escola, o quanto as pessoas aguardam a rainha de bateria e eu tive muita felicidade de ter todo o apoio da comunidade e da direção da escola. Hoje eu agradeço muito a Beija-Flor, ao seu Laíla e ao seu Anízio por ser reconhecida e por ser um exemplo para algumas pessoas no mundo do carnaval.

Foto: Raissa, com troféu de vencedora do concurso pé do futuro, ao lado da vice campeã

EiS - Você acredita que o fato de ser da comunidade e desde bem novinha ter sido coroada rainha de bateria da escola, são os principais fatores para todo amor e respeito que a comunidade tem por você?

Raissa - Eu acho que não é questão de ser da comunidade, pode ser atriz, modelo e ter esse mesmo respeito e amor, desde que demonstre carinho pela comunidade, disposição para estar sempre querendo ajudar a escola, ser humildade, representar a escola sempre à altura, enfim, tudo isso faz com que a relação entre a rainha e a comunidade tenha tudo para ser maravilhosa. Eu vou fazer agora 15 anos à frente da bateria e as pessoas respeitam muito a minha história dentro do carnaval, mas eu também lutei muito, já fiz muito pela escola, sempre tento dar o meu melhor e as pessoas veem o nosso empenho pela escola e eu faço tudo isso com muito carinho, porque sempre respeitei e amei muito o meu pavilhão.

EiS - Hoje você é formada em comunicação social e tem vários projetos profissionais. Qual o tamanho da importância da Beija-Flor no seu sucesso?

Raissa - Foi a Beija-Flor que pagou a minha faculdade e sempre cuidou dos meus estudos e de meu irmão. Eu devo muito ao seu Anízio, que abriu as portas da casa dele e meu deu oportunidades para eu me tornar a "Raissa da Beija-Flor". Agradeço também ao seu Laíla, seu Farid, a toda a minha comunidade que sempre me abraça, mas o que não podemos perder nunca é a humildade, o carisma com as pessoas, seguir sempre com os pés no chão, para assim alcançar o sucesso.

Foto: Rodrigo Mesquita

EiS - É uma emoção diferente, gravar a vinheta da Globo para o carnaval? É um dos momentos que você percebe que o carnaval está batendo na porta?

Raissa - Quando chega a vinheta percebo que o carnaval está chegando, é uma emoção enorme, meu subconsciente já fala para mim que falta pouquinho para o carnaval, sem contar que é o momento que encontramos as pessoas de todas as agremiações, ali todo mundo se dá bem, mostra que as escolas de samba não tem rivalidade e também é a oportunidade de mostrar um pouco do que cada escola vai mostrar no carnaval que se aproxima, como o enredo, a letra do samba e daí por diante.


0 visualização