Buscar
  • Revista EiS

Nino Smith conta os segredos do Império Ricardense, que driblou a crise e já está com o carnaval pra


Nino Smith(Presidente do conselho deliberativo do Império Ricardense), ao lado de componentes e colaboradores da agremiação. Foto: Divulgação da escola.

Em tempos de crise financeira e de reclamações de sambistas em relação ao afastamento de verdadeiros sambistas das escolas de samba, o presidente do conselho deliberativo do Império Ricardense, Nino Smith, dá a receita de como a escola conseguiu driblar a crise, como é a relação da agremiação com seus componentes, colaboradores e diretores e mostra toda sua confiança em ascender pelo segundo ano consecutivo. O Império Ricardense subiu do grupo E para o grupo D em 2017 e levará para avenida em 2018, um enredo que conta a história do ator Lázaro Ramos. A revista Explosão In Samba perguntou ao Nino Smith, sobre as suas expectativas para o carnaval de 2018:

"Visto como um cara que faz a linha povão, que joga pra galera (já me falaram isso certa vez), não posso estar feliz. É muito triste a atual situação das escolas de samba da intendente Magalhães, não conheço a realidade financeira de todas as agremiações nas suas particularidades, não sei exatamente qual a dimensão do problema que se encontram, como por exemplo o que se escuta falar da Caprichosos de Pilares. O que posso ver pelo meu feeling é que cada ano que passa o espetáculo fica mais difícil de ser realizado.

Hoje (03/02) eu estava no barracão de alegorias e faltando uma semana dos desfiles, não tem nenhuma escola em condições de desfilar completa e o que vai ficando pronto não dá a certeza de que vai ficar bom, com raras exceções, respeitando a particularidade do gosto de cada um.

Em relação ao Império Ricardense, a escola quando foi fundada se preparou pra fazer sem verba, era natural que quando tivesse verba as coisas fossem diferentes.

Mas dentro da escola se acostumou a fazer carnaval sem dinheiro ou com o nosso dinheiro, é uma espécie de cooperativa.

Então a escola não sentiu muito a crise já que está sendo administrada pra fazer assim e o fato de ter desfilado com a estrutura que cabe na intendente já no primeiro ano de fundação, não altera o planejamento financeiro da escola. Por experiência ela já sabe quanto vai gastar.

Outro fator é que temos alguns amigos responsáveis pelas escolas do grupo especial, que nos sedem materiais que já foram utilizados, porque eles falam que tem orgulho de ver a forma como nosso grupo de carnaval transforma e consegue fazer melhorar.

Nós não desfilamos com as roupas prontas que ganhamos, nós modificamos tudo, desmontagem, criação e união com material novo que é comprado.

O grande segredo do Império Ricardense é que toda sua cúpula sabe fazer carnaval ( não pagamos mão de obra) e todo ano formamos pelo menos mais uns 5, e mesmo com o aumento de alegorias dá pra fazer sem alterar o custo.

Em outras palavras o Império Ricardense é de fato uma escola de samba onde quem aprendeu ensina a fazer e um dia também poderá ensinar.

Outro segredo é criar a atmosfera de que aqui se faz por amor, toda pessoa com visão capitalista não se cria no Ricardense.

Não mandamos ninguém embora, eles ficam sem graça e acabam saindo até porque não tem como ver algo que não se tem (dinheiro).

O dia que a escola tiver algum lucro financeiro, vamos investir ou em estrutura de instalações ou na qualificação do material humano.

A esperança é conseguir o acesso e se possível mais um título, quem entra com outro objetivo na avenida não deveria nem entrar.

Toda escola tem que desfilar com a consciência que tentou fazer o seu melhor e se superar a cada ano. Praticamente tudo pronto, o Império tem a certeza que virá melhor que os outros anos dentro da nossa avaliação, e esperamos que seja essa a avaliação de todos." Concluiu.

Confiram algumas fotos do último ensaio da agremiação, no dia 04 de fevereiro.


0 visualização