© 2016 Revista Explosão in Samba | Criado por Faccilite

Milena Nogueira, Rainha de bateria Imperiana, é uma das apostas para a escola voltar ao grupo Especial

23.09.2016

 

 

 

 

 EiS - O fato de ser esposa do cantor e compositor Diogo Nogueira simplificou o seu acesso como rainha de bateria do Império Serrano? Como surgiu o convite?

 

Milena - Não, pelo contrário. Uma escola de samba carioca homenageará meu sogro em 2017 e havia uma expectativa sobre eu ser rainha de bateria lá antes de ser anunciada no Império Serrano.

Eu havia recebido convites de outras escolas e estava avaliando quando a presidente Vera Lucia veio falar comigo.  A “paquera” entre eu e a escola já vinha de outros carnavais e sentimos que chegou a agora de assumir um compromisso sério!

 

 EiS - Qual é o seu principal objetivo como rainha de bateria do Império Serrano? A conexão com a comunidade Imperiana é bacana?

 

Milena - Pretendo contribuir de todas as formas que puder para alcançar o objetivo comum a todos os membros da comunidade imperiana: reconduzir a Império Serrano ao Grupo Especial.

 

 EiS - Ganhar músculos definidos, pernas dignas de Marquês de Sapucaí, bumbum durinho e barriga super chapada, quais são os seus segredos para manter o corpo malhado e sempre em forma?

 

Milena - Eu sou personal trainer em minha própria academia, então tenho facilidade para cuidar da saúde o ano inteiro. Mesmo assim, cerca de 3 meses antes do carnaval mudo minha alimentação e treino para aumentar a resistência e a massa muscular para o desfile na Sapucaí.

 

EiS - As mulheres negras vem ocupando poucos espaços de destaque como musa, princesa, madrinha e principalmente como rainha de bateria, existem nas comunidades negras lindas que poderiam perfeitamente ocupar esse lugar, como você vê essa diminuição dessas belas negras nas escolas de samba do Rio e de São Paulo?

 

Milena - Eu não observei isso. Onde ando, as mulheres não são valorizadas pelo tom da pele, mas sim pelo amor à sua comunidade e pela dedicação aos postos que ocupam.  

 

 

EiS - Você já rebateu alguma crítica nas redes sociais a respeito do seu cargo de rainha de bateria do império? Se você teve, como você faz para driblar os comentários?

 

Milena - Tendo em mente que ninguém consegue agradar a todos, prefiro evitar discussões acaloradas nas redes sociais. Comentários malcriados são apagados. Críticas construtivas e elogios são bem-vindos! Minhas redes sociais estão abertas apenas para boas trocas.

 

 

 EiS – Aos 39 anos idade em plena forma física e soberana do Império Serrano, existe idade correta para ser uma rainha de bateria? A idade influência ao entrar no posto mais desejado pela mulherada? Você não acha que mídia usa muito a imagem da rainha para atrair audiência?

 

Milena - O posto tem um perfil social e requer mais do que um corpo durinho para cruzar a Avenida. Já vimos mulheres maravilhosas de diferentes idades ocupando-o, o que comprova que idade não é pré-requisito.

Sobre a imagem da rainha de bateria sendo usada para atrair audiência, acredito que atrair boa visibilidade para a escola seja uma das funções de quem ocupa esta posição.  Todas as alas da escola têm espaço em mídias e veículos especializados.

 

EiS - O agogô é um instrumento muito antigo e está completando mais ou menos seu 16º ano na bateria Sinfônica do Império Serrano, é fácil aprender a tocar o agogô?

 

Milena - Fácil, não é. Mas tenho praticado bastante e até já recebi elogios do Mestre Gilmar

 

 EiS – Um bom figurino ajuda a compor o contexto da rainha Milena Nogueira nos seus ensaios e nas suas apresentações?

 

Milena - Sim! O figurino também faz parte do espetáculo!

 

 EiS - A maioria das rainhas de bateria sempre tem uma outra rainha como referência, qual rainha que você mais admira e por quê?

 

Milena - Luíza Brunet. Sempre majestosa.

 

 EiS – Deixe seu recado para Revista Explosão In Samba. O que podemos esperar agora da rainha Milena Nogueira para o carnaval 2017?

 

Milena - Podem esperar muito amor alegria e dedicação de uma apaixonada pelo carnaval e pelo Império Serrano.

 

 

 

 

 

 

Revista Explosão In Samba - Matéria de Anderson Lopes

Please reload