© 2016 Revista Explosão in Samba | Criado por Faccilite

Pesquisador Cláudio Rocha faz síntese dos enredos das escolas do grupo B. E você, já está sabendo o que a sua escola vai contar na avenida?

19.10.2016

                        Pesquisador Cláudio Rocha (Foto: Arquivo pessoal)

 

 

Panorama dos Enredos que serão apresentados no Desfile Intendente Magalhães, no Carnaval de 2017 das Escolas do Grupo B.

 

As Escolas do grupo de Acesso B, preparam um grande espetáculo para o próximo carnaval. Para isso, um bom ENREDO é fundamental! E podemos aguardar desfiles maravilhosos, pois os temas são todos bem especiais. Todos com forte teor cultural e histórico. Passando pela literatura; astro da MPB; história do Brasil; política; teatro e religião. Acredito que teremos um belíssimo espetáculo em 2017.

 

Vizinha Faladeira

Escola que tem como data de fundação 10/12/32 e cores Vermelho, Azul e Branca traz como Enredo: “A ÚLTIMA DO PORTUGUÊS! A QUE NEM CAMÕES CONTARIA…” de autoria do Carnavalesco Jean Rodrigues. A agremiação pretende levar um pouco de Portugal para Avenida. A tônica do desfile é mostrar os Portugueses, não como colonizadores e sim como um povo parceiro, viajando com o Brasil há 500 anos. Evidenciar a relação curiosa e amistosa e por vezes engraçada. O carnavalesco pretende fazer essa homenagem no enredo, pelo que se percebe na sinopse, como uma versão verdadeira e lúdica, sem críticas e sim como um encontro amigável.

 

Caprichosos de Pilares

Fundada em 19/02/49, nas cores Azul e Branco, volta para Avenida com um Enredo que sempre foi a marca dos seus desfiles, crítico e irreverente. “VAMOS QUEBRAR TUDO, SÓ DE SACANAGEM!”, de autoria do Carnavalesco Amauri Santos. Com um tema, que atualmente está em evidência em todo país, a Corrupção. Passando por Cabral e o Descobrimento do Brasil; Piratas Ingleses que saqueavam Piratas Portugueses; enriquecimento ilícito; anões do orçamento, “mensalões” e “petrolões”. A escola do bairro de Pilares pretende dar um basta na roubalheira, na impunidade, na covardia e na desonestidade. Mas a mensagem principal do enredo é que a ESPERANÇA do povo é Imortal! 

 

 

 

 

 

Unidos do Jacarezinho

Fundada em 16/06/66 nas cores Verde, Branco e Rosa vem com o Enredo: “O DIA EM QUE O JACARÉ COMEU A NOITE”, do Carnavalesco

Eduardo Gonçalves. O tema é baseado em uma obra literária. O livro “O jacaré que comeu a noite”, do Escritor, Historiador e Doutor em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Joel Rufino dos Santos, um homem com uma cultura extraordinária! Com enredo lúdico, a Escola traz uma história muito divertida, que reúne todos os animais da floresta, que ficam muito preocupados, após um jacaré decidir comer o Sol e depois a Lua. Qual será o fim dessa história? Saberemos na Avenida.

 

Unidos do Cabuçu

Escola fundada em 28/12/45, de cores Azul e Branca, levará para Avenida uma homenagem com o Enredo: “DOMINGO MENINO DOMINGUINHOS”, do Carnavalesco João Vitor Araújo, Pesquisa e Sinopse de Daniel Targueta. Uma significativa homenagem a um dos maiores músicos da MPB. Com uma homenagem ao cantor pernambucano Dominguinhos, tido como herdeiro musical de Luiz Gonzaga e autor de vários sucessos do cancioneiro nordestino, como o clássico “De volta pro aconchego”, entre outros. Foram mais de 70 anos de sucesso que agora poderemos ver desfilar no carnaval na Intendente Magalhães.

 

Acadêmicos do Engenho da Rainha

 

Escola fundada em 21/06/49 e nas cores Vermelho e Branco traz o Enredo: “ZÉ KÉTI… A VOZ DO MORRO SOU EU MESMO SIM SENHOR!”, de autoria de Dy Fernandes, Pesquisa e Texto de Dy Fernandes e Rogério Rodrigues. O tema narra a história de vida e carreira do Zé Kéti. Nascido em Inhaúma, bairro vizinho do Engenho da Rainha, Zé Kéti é autor de clássicos do samba como: “Máscara negra”, “Opinião” e “Voz do morro”. Flertou com a turma da Bossa Nova até com os intelectuais do Cinema Novo e da esquerda nacional, inclusive com participação no famoso “Show Opinião”, ao lado de Nara Leão e João do Vale. Uma justíssima homenagem a esse grande artista.

 

 

 

 

 

Tradição

 

Fundada em 01/10/84 e tem as cores Azul Turquesa e Royal, Branco, Ouro e Prata, entrará na Avenida com um enredo baseado no bal­é mais popu­lar que conhecemos “O Lago dos Cisnes”. Esse será o tema do Enredo da Escola para o Carnaval de 2017, de autoria do carnavalesco Leandro Valente: “O Lago dos Cisnes", com o passar dos anos e com a evolução do balé se tornou um dos mais populares de todos. Aguardaremos com ansiedade para ver a versão carnavalesca dessa história que sobrevive até hoje e é um sucesso mundial, é um balé dramático em quatro atos do compositor russo Tchaikovsky.

 

 

Unidos da Ponte

 

Fundada em 03/11/52, nas cores Azul e Branco, com o Enredo: “ROBERTO RIBEIRO, O MENINO REI”. Com sinopse de Felipe Costa, tem como Carnavalesco André Wonder e vai contar em três Atos a história fascinante de Roberto Ribeiro, que cantou e encantou a história de nossa gente. No 1º Ato – Sonhos do “menino rei”, 2º Ato – O Glorioso Império Serrano! 3º Ato – A vida nos Palcos. Roberto Ribeiro é um dos maiores nomes do samba carioca. Afinal, cantou o amor, a boemia, o Brasil, suas raças, suas religiões. Foi cantando seus sambas, nas mesas de bares e palcos que Roberto se tornou rei. E as emoções suscitadas por suas canções nos tornaram seus súditos. Sua coroação será na Avenida!

 

 

Leão de Nova Iguaçu

 

Escola fundada em 15/11/68 com as cores Vermelho, Branco e Ouro, tem um forte Enredo, intitulado: “ILÊ AXÉ OPÔ AFONJÁ – O REI ESTÁ NA TERRA”, o Carnavalesco e Autor Cid Carvalho, saúda o Ilê Axé Opô Afonjá e seus 130 anos de lutas, de preservação e de glórias! “As lágrimas banhavam o rosto da Ialorixá ao relembrar todos os passos da sua caminhada espiritual e as histórias vividas e contadas por suas antecessoras, as mulheres que construíram o Ilê Axé Opô Afonjá, afinal, foi a força feminina que havia trazido até ali a tradição do Axé.” Aguardamos um lindo trabalho e a homenagem da Escola na Avenida em 2017.

 

 

 

 

 

Favo de Acari

 

Fundada em 18/10/04 nas cores Verde, Rosa e Ouro, com o Enredo: “O SAMBA NÃO TEM FRONTEIRAS, O FAVO DE ACARI CONTA A HISTÓRIA DOS BAMBAS DA MANGUEIRA”. Com uma homenagem aos “Bambas da Mangueira”, o enredo vai abordar justamente esse momento, onde a Escola volta às raízes e cores: Verde e Rosa. Vamos aguardar um enredo que pretende apresentar muitas atrações, beleza e novidades.

 

Em Cima da Hora

 

Fundada em 15/11/59 nas cores Azul Pavão e Branco, com o Enredo: “MARIA, NOSSA MÃE APARECIDA: 300 ANOS DE BENÇÃOS!”. Em 2017 o Santuário Nacional de Aparecida promove o Jubileu “300 anos de Bênçãos”. Para celebrar essa data, a Escola na visão dos Carnavalescos Alexandre Rangel e Raphael Torres mostrará a história que todos nós conhecemos: no ano de 1717 três pescadores, levados por necessidades históricas e econômicas, saíram a pescar, numa época escassa de peixes. Por ação misteriosa de Deus, chegando ao “Porto de Itaguassu”, a primeira coisa que caiu em suas redes foi o corpo de uma imagem quebrada, na altura do pescoço. Num segundo lance de rede, pescaram a cabeça da mesma imagem. Juntando as duas partes viu-se que se tratava da Nossa Senhora da Conceição. Parece que ver essa linda história na Avenida de certo vai emocionar a todos.

 

Mocidade Unida do Santa Marta

 

Escola fundada em 08/03/92 e tem as cores Azul e Branco. Levará para Avenida o Enredo: “BIP BIP, UM BAR A SERVIÇO DA ALEGRIA… LÁ ONDE O SAMBA ESTÁ EM CASA!” A intenção do enredo é mostrar a reverência a um dos bastiões da cultura etílica e da música popular brasileira do Rio de Janeiro, com seus enormes dezoito metros quadrados, o carioquíssimo Bar Bip Bip. Um boteco de Copacabana que até já foi homenageado em filmes, livros e canções e agora na alegria e no ritmo do carnaval, pois existe uma saudação necessária e ainda não explorada. O Bar que é Patrimônio Cultural Carioca, pelo decreto 36.605, da Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro, de 11 de dezembro de 2012, é considerado como local de convivência democrática que traduz o “espírito carioca” de se comemorar, de se reunir, de festejar. Merece essa homenagem! O Carnavalesco responsável por esse trabalho é o Saulo Saúde.

 

 

 

 

 

 

Arame de Ricardo

 

A simpática e irreverente Escola, fundada em 18/03/95 nas cores Azul e Branco, levará para a Avenida o Enredo: “ORA, POIS… HOJE O BANQUETE É REAL”. Contará, a partir da chegada da Família Real Portuguesa, como foi a formação da culinária brasileira e a influência de Portugal e até de outras etnias, na forma de se alimentar do nosso povo. Do desembarque da Família Real, passando pela mesa de Dom João e seu famoso frango, pela despensa e cozinha, pelo cozido português e a feijoada, aos bailes financiados pela corte, até um final crítico que indica a situação do povo que vive até hoje: comendo o pão que o Diabo amassou. O rega-bofe será preparado pelo Carnavalesco Ney Júnior, pelo Diretor Thiago e pelo Pesquisador Claudio Rocha - esse que vos escreve - que também é o autor da Sinopse.

 

 

 

Unidos de Bangu

 

Escola fundada em 15/11/37, nas cores Vermelho e Branco, com Enredo: “ONDE HÁ FUMAÇA, HÁ FOGO!”, dos Carnavalescos Rodrigo Marques e Guilherme Diniz. Levarão para o desfile na Intendente Magalhães a História do Fogo através da civilização. Do manuseio, passando pela era do bronze, pela produção de artefatos, como armas e objetos artísticos, e de como ele foi fundamental na Revolução Industrial, até com a licença poética de se falar do Time de Futebol do Botafogo.

 

 

Claudio Rocha é Pesquisador e Bacharel em Biblioteconomia, Pós Graduado em História do Teatro Brasileiro e Ocidental, Ex-diretor do Dep. Cultural do GRES Estácio de Sá.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Please reload