© 2016 Revista Explosão in Samba | Criado por Faccilite

A maneira turca de fazer samba

21.12.2016

Que o samba do carnaval brasileiro viaja o mundo, isso todos nós já sabemos. Agora poder entender um pouco de como ele é feito na Turquia, foi uma missão daquelas que a gente curte só de começar a ouvir o relato do entrevistado. Aliás, o samba provoca isso nas pessoas, uma explosão de criatividade que faz até turco fundar escola de samba (risos). Explicando de antemão que a formação de escola de samba na Turquia, não é a mesma do Brasil. Eles basicamente empenham-se na composição de uma bateria. Para entender isso e mais um pouco, conversei com Dogan, fundador da “Escola de Samba” Carnaval Turco – grupo de percussionistas que levam samba e simpatia para os mais variados eventos em Istambul.

                    Componentes do carnaval Turco - Fonte: Foto enviada por Dogan

 

 

Essa história começou com a participação de Dogan em grupos que tocavam música Cubana, o que não tinha nada a ver com samba, mas foi nesses primeiros contatos com a percussão que ele sentiu algo diferente em relação à música. A partir daí, começou a envolver-se mais e mais com o samba, assistindo vídeos, buscando contatos com grupos de batucada, até conhecer Chris Quade – um dos diretores do Bloco X, grupo que reúne músicos de diversas partes da Europa para tocarem juntos (história que eu vou contar depois). Após alguns workshops, foram desenvolvendo a base para tocar e com ensaios e mais ensaios, fazendo samba nas ruas, por pura diversão e alegria, em 2002 nasceu o Carnaval Turco. O grupo é formado por aproximadamente 35 pessoas entre homens e mulheres que encontraram no samba uma forma de realizar uma atividade em conjunto, por prazer e satisfação, com ensaios semanais onde eles praticam as famosas paradinhas e sambas de enredo das baterias de escolas de samba do Brasil.

 

                                Apresentação carnaval Turco - Fonte: Foto enviada por Dogan

 

 

O Carnaval Turco possui um núcleo artístico que faz apresentações em eventos e outras festas como casamentos, formaturas etc, chegando a realizar 80 apresentações por ano, com maior frequência durante o verão e nos meses de Outubro a Dezembro. É um número expressivo considerando que o samba não é um dos ritmos mais difundidos na Turquia, segundo Dogan. Uma informação adicional é que atualmente, mais desenvolvidos e conhecidos, existem dois grupos em Istambul, são eles: Bate bumbo (o mais antigo) e o Carnaval Turco que em algumas apresentações integra casal de mestre-sala e porta-bandeira e passistas de outros grupos da Europa. Complementando assim o show e aumentando a alegria de quem assiste.

 

                             Evento Carnaval Turco - Fonte: Foto enviada por Dogan

 

 

Bom, agora para tudo e acompanha comigo o que um grupo de pessoas inspiradas em fazer algo maior por intermédio do samba começou a desenvolver: o projeto se chama “Samba Akademisi” e o objetivo é levar aulas de samba (percussão) para as escolas. Essa iniciativa deverá atingir aproximadamente 3.000 estudantes e o grupo já começou a receber as primeiras inscrições. Iniciativas como esta, que adotam o samba, o fenômeno escolas de samba e a expressão cultural do nosso povo como ferramenta para provocar transformação e desenvolvimento artístico-cultural, merece ser apresentada.

 

                               Banner divulgação projeto social para ensinar samba nas escolas - Fonte: Foto enviada por Dogan

 

 

Para 2017, a diretoria do Carnaval Turco já está pensando sobre a realização do Festival que deve acontecer em Setembro. Ficou cheio de vontade de conhecer? É só acessar o site http://www.carnavalturco.com.tr/ ou Facebook @carnavaltr e descobrir um pouco mais sobre a maneira turca de fazer samba.

 

Flávia Abreu – Correspondente Internacional

 

Please reload