© 2016 Revista Explosão in Samba | Criado por Faccilite

Pequena análise sobre a lista de jurados do grupo Especial 2017

16.02.2017

 

Nos últimos dias foram divulgados os nomes dos jurados que irão julgar o

desfile do Grupo Especial em 2017. Antes de falar sobre a lista propriamente dita, é

importante dizer que a escolha destes nomes é responsabilidade exclusiva do presidente

da Liesa, Jorge Castanheira. Esta decisão centralizadora, reflete muito bem aquilo que

em entrevista recente, o patrono da Beija Flor, Sr. Anísio, disse ao afirmar que o grande

defeito do presidente é centralizar demais as decisões e não compartilhá-las com os

presidentes das agremiações.

Importante destacar que este ano ocorreu um grande aumento no grupo de

julgadores (foram 36 em 2016 e serão 54 em 2017), o motivo é que agora todos os

quesitos terão 2 jurados reservas para qualquer eventualidade. Ninguém vai confirmar,

mas o motivo desse aumento é que as denúncias feitas pelo Laíla de possíveis

manipulação de jurados por presidentes de escolas deve ter um fundo de verdade.

Talvez por causa desse aumento, poucos jurados que julgaram no ano anterior

foram retirados da relação. Quanto a lista, em si, uma primeira percepção é que pela

primeira vez, nenhum jurado da Lierj ”subiu” para o Grupo Especial. Qual o possível

motivo para isso? Existem duas suposições que são possíveis:

1) A Liesa engrossa a fila daqueles que discordam das justificativas dadas na

avaliação do desfile de 2016 e por isso não confiou em nenhum de seus jurados;

2) Após o título contestado da Estácio em 2015, a Lierj fez uma grande troca de

jurados para 2016 e entre os excluídos estavam jurados próximos do presidente

Jorge Castanheira, inclusive no ano passado, foi o primeiro ano que o presidente

Castanheira não deu o curso de jurados da Lierj.

É importante notar que 2 destes jurados que foram cortados pela Lierj depois do

título da Estácio, estarão no Especial em 2017, são eles: Rafaela Ribeiro e Valmir

Aleixo

Outra constatação digna de nota, é que aos poucos o presidente está voltando

para o júri aqueles jurados que foram cortados após as reclamações da Beija Flor em

2014 (5 jurados que foram cortados na virada 14/15 já estão de volta – Persio Gomyde,

Paulo Paradela, Alice Serrano, Ana Cohen e Sergio Naidin). Importante dizer que

alguns dos jurados foram injustamente cortados após darem notas e justificativas

plausíveis naquele ano.

Entre os jurados que continuam, alguns já fazem hora extra em minha opinião

como por exemplo Walber Angelo de Freitas que esqueceu de dar nota para a Unidos da

Tijuca em 2015, decidindo colocações (a escola seria 6ª e por esse erro foi 4ª colocada)

e na época disse que para ele ser jurado nos anos seguintes não tinha importância “tanto

faz como tanto fez” – triste continuar com alguém que não dá valor a estar lá.

Uma pena também foi não ocorrer uma mudança maior no quesito samba

enredo, onde apenas o jurado Alfredo Del-Penho realmente fez um julgamento que

mereça esse nome, o que levou a 7 das 12 escolas conquistarem 30 pontos.

(Infelizmente após o ótimo julgamento de 2014, esse quesito nunca mais se encontrou).

Salete Lisboa é outra que continua no júri, apesar das reclamações de muitos

torcedores de que ela ignora buracos em determinadas escolas ou desconta o mínimo

possível no quesito evolução.

Segue ainda no júri Regina Oliva que canetou o Salgueiro por desfilar com

excesso de fantasias nas cores vermelha e branco em 2016.

Continua também a jurada de evolução Edileuza Batista de Aleluia que tirou

ponto da Vila Isabel em 2016 alegando que as pessoas que estavam como apoio da

escola estavam muito animadas durante o desfile, cometendo o crime de pular e dançar

durante a apresentação da escola.

Enfim, na minha opinião deveria haver uma mudança maior de nomes do júri,

espero que ocorra no próximo carnaval. Sobre os jurados que entram, prefiro comentar

no próximo ano.

 

 

 

 

 

Please reload