© 2016 Revista Explosão in Samba | Criado por Faccilite

Sambistas lotam a plenária da câmara e pedem à vereadores que intercedam por eles, junto ao prefeito Marcelo Crivella

30.06.2017

                             Plenária da câmara dos vereadores, durante audiência pública com a comissão de carnaval - Foto: EiS

 

 

O presidente da comissão do carnaval, Tarcísio Motta, deu início a audiência pública informando  que 33 dos 51 vereadores da casa, haviam mais cedo assinado uma carta aberta, de apoio ao carnaval carioca. O clima durante a audiência pública foi de tranquilidade e o único momento em que os sambistas tiveram uma reação mais exaltada, foi quando vaiou o chefe de gabinete da secretaria de cultura, Vagner Fernandes, que defendeu os cortes anunciados pelo prefeito.

O presidente da Portela, Luis Carlos Magalhães se mostrou indignado com essa situação:

 

 "As  coisas que tenho visto por aí, faz parecer que o carnaval não faz parte de nossa cultura, que é apenas uma farra carioca, que o carnaval é uma farsa. Não tenho dúvidas que o nosso carnaval não vai morrer, pois já passou por momentos de crise, como no período da segunda guerra mundial e deu a volta por cima ainda mais fortalecido. Sei que à médio e longo prazo, nosso carnaval vai estar firme, porém minha preocupação é com o agora, como faremos se o prefeito reduzir pela metade a subvenção, se já fizemos tratos com as pessoas? Estão mudando as regras com o jogo em andamento. Tenho sérias dúvidas sobre os verdadeiros motivos desses cortes no carnaval." Desabafou LCM

Foto de Luiz Carlos Magalhães -  Site carnavalesco

 

 Presidente da Liesa, Jorge Castanheira, presidente da Lierj Déo Pessoa e presidente do conselho deliberativo da Liesb, Sandro Avelar, defenderam as suas ligas e falaram da importância do carnaval carioca para a nossa cultura e das dificuldades que será para as escolas conseguirem desfilar, com os cortes que foram anunciados. Sandro Avelar foi o mais enfático em suas explanações:

 

 "Temos 60 escolas de samba divididas entre os grupos B, C, D e E, o que significa mais ou menos 48 mil pessoas desfilando, mais até do que nas escolas do grupo A e do Especial. No ano passado não tivemos os 100% de aumento que o grupo Especial teve, foi apenas 50%, portanto qualquer redução que houver vai nos fazer muita falta e nos trazer muitas dificuldades." Disse Avelar.

 

Praticamente todos os presidentes das escolas de samba filiadas à Liesb estiveram presentes, além de vários outros segmentos. Grandes personalidades do mundo do samba também compareceram, como os carnavalescos Cid Carvalho, Alexandre Louzada, Maria Augusta e Leandro Valente; O mestre Rodney da Beija-Flor, entre outros.

 

 Vereador Luiz Carlos Ramos Filho, com o vice presidente jurídico da Liesb, Marcelo Gonçalves e a carta aberta assinada por 33 dos 51 vereadores, que visa chegar à um acordo entre prefeitura e escolas de samba, nesse impasse que foi criado, após o anúncio por parte do prefeito, de reduções da subvenção e estrutura do carnaval.

 

 

Please reload