© 2016 Revista Explosão in Samba | Criado por Faccilite

80% das escolas de samba dos grupos de acesso, ficarão só com o cheirinho da subvenção, que o prefeito prometeu pagar dia 15 de Janeiro

05.01.2018

 

 A promessa do prefeito Marcelo Crivella, que pagará a subvenção das escolas de samba que desfilam na Intendente Magalhães, nos grupos B,C e D, animou muito mais os credores que as próprias escolas de samba, pois aproximadamente 80% dessas escolas sentirão apenas o cheirinho dessa grana:

 

"Pelo menos 80% dessas escolas, só conseguem fazer carnaval pegando cartas de crédito, para pagar quando recebe a subvenção. Essa diminuição de 50% do valor recebido por cada escola, causará grandes danos em muitas escolas, que começaram à fazer carnaval há muito tempo e se comprometeram com valores, acreditando que a subvenção não sofreria cortes. Mas a Liesb está tentando viabilizar junto à iniciativa privada, patrocínios que possibilitem que as escolas possam desfilar da melhor forma possível." Informou o presidente da Liesb, Gustavo Barros

 

 

A Revista Explosão In Samba entrou em contato com alguns representantes de escolas de samba e trouxe para vocês o que pensam em relação à essas dificuldades que estão enfrentando para colocar o carnaval na avenida em 2018.

 

PRESIDENTE DE HONRA DA CAPRICHOSOS DE PILARES, JULIANA LEANDRO

 

"POR MIM, NENHUMA ESCOLA DESFILARIA, BOICOTE GERAL"

 

 

 "Para mim, isso é um absurdo e por mim nenhuma escola desfilaria, boicote geral. Além da subvenção ser baixíssima, nas escolas da Intendente Magalhães existe esse problema da redução de 50% da subvenção, tornando inviável se fazer carnaval. Muitas escolas tem dívidas de gestões passadas, como a Caprichosos de Pilares e a maioria complementa a subvenção com cartas de crédito. Eu ainda não sei o que faremos, mas acho que ninguém deveria desfilar, pois o carnaval está se tornando um circo, onde ficamos com cara de palhaço para o povo e o prefeito".

 

 

 

DIRETOR DE CARNAVAL DO ARAME DE RICARDO, THIAGO GOMES

 

"ESTAMOS CONTANDO COM RESERVAS PESSOAIS DA DIREÇÃO DA ESCOLA"

 "Estamos contando com reservas pessoais da direção da escola, trabalho voluntário de amigos, doações de materiais e serviços prestados para pagamento futuro. Tivemos que modificar desenhos de fantasias e do carro alegórico. Trocamos materiais para que tudo possa ser feito e descreva perfeitamente o enredo."

 

 

PRESIDENTE DA TRADIÇÃO, RAPHAELA NASCIMENTO

 

"TÁ SENDO O PIOR CARNAVAL DE TODOS OS TEMPOS"

 

 

"Tá sendo o pior carnaval de todos os tempos a nível financeiro, em todos os sentidos, porque quem ajudava está receoso por conta da crise e ainda tem a subvenção, que sempre teve data certa para recebermos e até agora nada. Nossa sorte é que começamos fazer o carnaval cedo e já estamos com todas as fantasias prontas e agora focando no barracão. O que receberemos da subvenção será para honrar com a palavra dada."

 

 

BERG, PRESIDENTE DA UNIDOS DA PONTE

 

"A PALAVRA VALE MAIS QUE DINHEIRO"

 

"Estamos resolvendo tudo com muita dificuldade, com critério e força de vontade de colocar a escola na Sapucaí novamente. Estamos contando com a compreensão dos fornecedores e funcionários que acreditam em nós. A palavra vale mais que dinheiro, mas que é muito difícil, é e muitos já abandonaram o barco, mas ficou a nata que quer a Ponte no topo de novo."

 

 

PATRÍCIA DRUMOND, PRESIDENTE DA VILA SANTA TEREZA

 

"ESTAMOS REPRODUZINDO NOSSAS FANTASIAS"

 

 

"A Vila Santa Tereza vem passando por grandes dificuldades, não temos dinheiro para pagar funcionários de atelier e dessa forma, somos nós mesmo que estamos reproduzindo nossas fantasias, é o caso de minha vice presidente, Rute Maria, meus diretores Caio Araújo, Belmonte, nosso intérprete Gabriel Chocolate, que tem dormido na quadra para nos ajudar na reprodução de nossas fantasias. Seguimos com muitas dificuldades, mas com esperança e temos certeza que estamos fazendo o melhor possível por nossa comunidade, mesmo sem um centavo à receber dessa subvenção."

 

 

 

 

 

 

Please reload